Assembleia da Aduferpe discute progressões, conjuntura do país e participação no CONAD

A direção da Aduferpe realizou nesta quinta-feira (7) a 366ª Assembleia Geral Extraordinária, que também aconteceu na UAG. Entre os principais pontos de pauta: informes jurídicos sobre a questão das progressões funcionais, análise de conjuntura, escolha do/a delegado/a e dos/as observadores/as do 63º CONAD e outros encaminhamentos.

A advogada da Aduferpe, Graziele Crespan, fez vários esclarecimentos sobre os problemas das progressões e promoções dos/as docentes, relativos à mudança de período de interstício, que têm causado sérios prejuízos financeiros. Na ocasião foi deliberada a formação de uma comissão para tratar do assunto, com a participação da Assessoria Jurídica do Sindicato, junto à Reitoria da UFRPE.

A primeira ação neste sentido aconteceu já nesta amanhã (8), quando professores/as e membros da diretoria da Aduferpe protocolaram ofício solicitando uma audiência com a reitora, Maria José de Sena, para tratar do assunto, que é de interesse de toda categoria. Segundo Graziele Crespan, há equívocos por parte da UFRPE na interpretação da Lei 12.772/12, o que têm acarretado sérios prejuízos financeiros aos docentes.

Ela destaca que todas as ações individuais julgadas foram consideradas procedentes. A postura da Universidade vai de encontro à Lei. “Os/as professores/as precisam entrar com processos individuais”, observa a advogada. Para os/as docentes sindicalizados, é importante lembrar que a Aduferpe mantém um plantão jurídico na sede da entidade todas as terças-feiras, nos períodos da manhã e tarde. A assembleia ainda deliberou a elaboração de uma campanha, com várias peças de comunicação, para informar os/as professores/as sobre os seus direitos  com relação à progressão e promoções.

Após a discussão sobre as progressões, a presidenta da Aduferpe, Erika Suruagy, fez uma análise da conjuntura brasileira, destacando os últimos acontecimentos que impactaram toda sociedade, como as greves dos caminhoneiros e petroleiros. Ela também destacou o dia de mobilização dos docentes na UFRPE, conforme determinação do ANDES/SN, que aconteceu em 23 de maio, com panfletagens em todos os departamentos.

Os docentes se manifestaram sobre a preocupante conjuntura que atravessa o país, o estado de exceção e os ataques à soberania nacional. A ilegalidade da prisão do ex-presidente Lula foi um ponto marcante nas discussões, assim como as próximas eleições.

A escolha do delegado e dos observadores do 63º CONAD foi discutida democraticamente por meio de votação. A presidenta da Aduferpe será a delegada e mais quatro professores/as participarão como observadores/as. Ainda ficou decidido que nas próximas assembleias haverá o Espaço de Convivência Infantil, atendendo a uma deliberação do último congresso do ANDES. A professora Laurileide lembrou que o Departamento de Ciências Domésticas pode contribuir bastante neste sentido.

Em anexo, por meio de mala-direta, segue o PDF com orientações detalhadas da Assessoria Jurídica da Aduferpe sobre a questão da progressão. O documento também está na página da Aduferpe www.aduferpe.org.br

 

Prezados/as Sindicalizados/as mantenham seus endereços atualizados para melhor comunicação ficar bem informado sobre as deliberações e ações da Aduferpe. Mais informações: 3442.1139 Email: secretaria@aduferpe.org.br

Aduferpe
Sobre o autor
Criador de conteúdo, responsável por divulgar notícias e informações de utilidade pública ao servidores da instituição de ensino UFRPE.

Deixe seu recado