Diretoria publica Cadernos da ADUFERPE N°03

A Diretoria da ADUFERPE biênio 2013/2015 publicou nesta terça (9) a terceira edição dos Cadernos da ADUFERPE.

Os Cadernos da ADUFERPE N° 03 tem como foco trabalhos que discutem as relações entre a universidade e os movimentos sociais. Divulgando trabalhos de docentes, a seção sindical busca uma interação entre política, universidade e cultura.

Abaixo, você pode conferir a publicação online na íntegra:

Posted On 09 jun 2015
, By

Resultado da assembleia da ADUFERPE do dia 02 de setembro de 2015

028

Professores da UFRPE decidem não aderir a Greve Nacional

Nesta quarta-feira (02/09) professores da UFRPE reunidos em Assembleia Geral realizada ao mesmo tempo na sede da ADUFERPE, em Recife, na Unidade Acadêmica de Garanhuns (UAG) e na Unidade Acadêmica de Serra Talhada (UAST), avaliaram a conjuntura nacional e o movimento de greve dos SPF que completou 3 meses no último dia 28/08. Apesar de não haver proposta para aderir ou não a Greve Nacional, os docentes aprovaram que fosse enviada uma Moção de Apoio ao Comando Nacional de Greve. Foi aprovado ainda a ida de um observador para se integrar o CNG e participar das lutas e mobilizações que ocorrerão em Brasília nos próximos dias. Uma nova Assembleia Geral será convocada nos próximos dias.

            O presidente da ADUFERPE, professor (Celso) Cícero Monteiro que esteve participando dos protestos em Brasília nos dias 27 e 28 de agosto, informou que por força das mobilizações o MPOG adiou a data do envio de uma proposta de reajuste para o dia 11/09, mas as perspectivas por um reajuste além do que o governo está propondo parece cada vez mais remota. Mas, novas rodadas de negociações apontam para uma reestruturação da Carreira Docente proposta pelo ANDES-SN

Posted On 14 maio 2015
, By

34° Congresso do ANDES-SN tem início na segunda (23), na capital federal

A partir de segunda (23), Brasília receberá 34º Congresso do ANDES-SN. Na quarta (25), docentes participarão de ato em frente ao Ministério do Planejamento

Entre 23 e 28 de fevereiro, a capital federal reunirá mais de 500 professores de Instituições de Ensino Superior de todo o país para o 34º Congresso do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN). No encontro, instância máxima de deliberação da categoria docente, os professores discutirão a conjuntura internacional e nacional e definirão as políticas prioritárias do Sindicato Nacional para 2015.

Sob o tema central “Manutenção e Ampliação dos direitos dos trabalhadores: avançar na organização dos docentes e enfrentar a mercantilização da educação”, os representantes das seções sindicais do ANDES-SN debaterão os cortes nos orçamentos da Educação, as medidas provisórias 664 e 665, a privatização da Saúde Pública e dos Hospitais Universitários, através da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), os fundos de pensão privados para os servidores públicos (como o Funpresp-EXE, o PrevBahia e o PrevCom Paraná), entre outros ataques aos serviços públicos e direitos dos trabalhadores.

No dia 25 (quarta-feira), os participantes do 34º Congresso do ANDES-SN integrarão o ato de lançamento oficial da Campanha Unificada dos Servidores Públicos Federais (SPF) de 2015, em frente ao Ministério do Planejamento (MPOG), na Esplanada dos Ministérios. Na pauta de reivindicações unificada dos SPF estão a reivindicação de reajuste linear de 27,3%, política salarial permanente, com correção das distorções e reposição das perdas inflacionárias, data-base em 1 de maio, direito de negociação coletiva, conforme previsto na Convenção 151, paridade salarial entre ativos e aposentados.

De acordo com o presidente do ANDES-SN, Paulo Rizzo, o 34º Congresso do Sindicato Nacional é um momento importante para a reflexão e o debate sobre a educação, as condições de trabalho dos docentes, a conjuntura e os desafios para a classe trabalhadora. “Neste ano, temos uma nova conjuntura política do país, com ajustes fiscais, cortes no orçamento e retiradas de conquistas históricas dos trabalhadores. Será, necessariamente, um ano de muitas lutas, e o objetivo do congresso é preparar os professores para esses enfrentamentos”, afirmou.

Em relação à pauta unificada dos Servidores Federais, Rizzo ressaltou que, caso não haja avanço no processo de negociação com o Governo Federal e sejam mantidas as políticas de cortes e arrocho, não está descartada a possibilidade de uma greve geral do funcionalismo federal.

Serviço
34º Congresso do ANDES-SN
Tema: Manutenção e Ampliação dos direitos dos trabalhadores: avançar na organização dos docentes e enfrentar a mercantilização da educação
Data: 23 a 28 de fevereiro de 2015
Local: ParlaMundi da Legião da Boa Vontade (LBV)
Endereço: SGAS 915 Sul, Lote 714, Asa Sul, Brasília – DF

Ato de Lançamento da Campanha Unificada dos Servidores Federais
Data: 25 de fevereiro de 2015
Local: Em frente ao Ministério do Planejamento (Mpog), bloco K
Horário: a partir das 9h

Fonte: ANDES-SN

Posted On 23 fev 2015
, By

Assembleia aprova campanha contra as MPs 664/2014 e 665/2014

Em assembleia no dia 14 de janeiro, os docentes da UFRPE aprovaram uma campanha contra as Medidas Provisórias (MPs) 664/2014 e 665/2014, que restringem direitos trabalhistas como seguro-desemprego, abono salarial, auxílio doença e pensão por morte.

As Medidas Provisórias do Governo Dilma afetarão os servidores públicos no que diz respeito à pensão por morte, com a criação de carência e novo cálculo para o benefício. Agora, o falecido deve ter 24 meses de contribuição previdenciária e será exigido tempo mínimo de casamento ou união estável de 24 meses. O valor do benefício irá variar de acordo com o número de dependentes e o prazo de pagamento mudará de acordo com a idade. A pensão vitalícia só será garantida caso o cônjuge beneficiado tenha mais de 44 anos.

A ADUFERPE é contra as MPs 664/2014 e 665/2014, pois elas tiram recursos dos(as) trabalhadores(as) a fim de diminuir os gastos do Governo, enquanto este continua a priorizar o pagamento da dívida externa.

A ADUFERPE acredita que a MP responsável pelas alterações na pensão por morte é inconstitucional. Segundo a assessoria jurídica do sindicato, é possível ingressar com uma ação para aqueles que se sintam lesados com as novas regras. As modificações das MPs restringem direitos e garantias sociais inseridos no artigo 6º da Constituição, como a pensão por morte, o auxílio-doença e o seguro desemprego.

A ADUFERPE realizou, como parte dos encaminhamentos da última assembleia dos docentes, o debate “O fim da pensão vitalícia por morte: ataques da MP 664/2014 do governo federal”, no dia 27 de janeiro de 2014, na sede da entidade em Recife. Tendo como debatedora a assessoria jurídica da entidade, a Wagner/Calaça & Associados, o espaço esclareceu dúvidas e mostrou a real face da MP.

Dando continuidade a essa campanha, a ADUFERPE lança agora um material contra as MPs 664/2014 e 665/2015, alertando para a necessidade da mobilização a fim de derrotar mais esse ataque aos direitos trabalhistas.

Veja como ficam as novas regras

ABONO SALARIAL (PIS)

Como era:

– Basta trabalhar um mês durante o ano e receber até dois salários mínimos

– O valor é um salário mínimo para todos

Como fica:

– Haverá carência de seis meses de trabalho ininterruptos

– O pagamento passa a ser proporcional ao tempo trabalhado

 

SEGURO DESEMPREGO

Como era:

– Carência de seis meses de trabalho

Como fica:

– Carência de 18 meses na 1ª solicitação; 12 meses na 2ª e 6 meses a partir da 3ª

 

PENSÃO POR MORTE

Como é:

– Não há prazo mínimo de casamento

Como fica:

– Falecido deve ter 24 meses de contribuição previdenciária.

– Será exigido tempo mínimo de casamento ou união estável de 24 meses.

– Valor do benefício varia de acordo com o número de dependentes

– Prazo de pagamento varia de acordo com a idade

 

AUXÍLIO DOENÇA

Como era:

– Benefício é de 91% do salário do segurado, limitado ao teto do INSS

– Empresas arcam com o custo de 15 dias de salário antes do INSS

Como fica:

– O teto será a média das últimas 12 contribuições

– Empresas arcam com o custo de 30 dias de salário antes do INSS

 

FACÃO NA PREVIDÊNCIA

R$ 18 bilhões é o corte de gastos por ano na Previdência

Posted On 12 fev 2015
, By

Ocupação da reitoria da Uece termina com vitória

Movimento conquista redistribuição de vagas de concurso público para docentes nos campi do interior.

Professores e estudantes da Faculdade de Educação, Ciências e Letras do Sertão Central (Feclesc) e da Faculdade de Educação, Ciências e Letras de Iguatu (Fecli) da Universidade Estadual do Ceará (Uece) desocuparam a reitoria da instituição, no Campus do Itaperi, na terça-feira (3), após o acerto da redistribuição das 120 vagas de concurso público, para professores efetivos, destinadas à instituição. O movimento, formado por 16 alunos e 4 professores, ocupava a reitoria desde o dia 26 de janeiro.

Em reunião realizada um dia antes (2), entre ocupantes do prédio, representantes do Sindiuece – Seção Sindical do ANDES-SN e da reitoria, ficou acertado 14 vagas para a Feclesc, em Quixadá, onde funcionam 8 cursos de graduação; e outras 13 à Fecli, em Iguatu, com 5 cursos de graduação. Alguns centros cederam as vagas para essas faculdades que se encontram em uma situação crítica.

Epitácio Macário, 2º vice-presidente do ANDES-SN, acredita que as assembleias e negociações realizadas neste período da ocupação foram importantes, pois obrigou a reitoria a rever a distribuição de vagas. “Foi um saldo político enorme para a própria democracia da universidade. Pela primeira vez, uma faculdade do interior se rebelou contra a decisão da administração central e conseguiu reverter o que já estava de fato encaminhado. É um fato muito relevante”, disse.

A abertura de concurso público nas universidades estaduais do Ceará é um dos acertos firmado entre o movimento docente e o governo do estado, que resultou na suspensão da greve, de quase quatro meses, protagonizada pelos professores da Uece, da Universidade Regional do Cariri (Urca) e da Universidade do Vale do Acaraú (UVA).

“Esses editais já estão nas mãos do Secretário de Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Ceará (Secitece), Inácio Arruda, e acreditamos que até a semana que vem esses editais já estejam publicados no Diário Oficial”, contou Epitácio Macário.

 

Saiba Mais

Movimento ocupa reitoria da Uece e cobra concurso para docentes nos campi do interior

*Imagem de Sinduece-SSind
Fonte: ANDES-SN

Posted On 10 fev 2015
, By

Contra calote e ajustes do governo estadual, Paraná vive clima de greve geral

O governador do Paraná, Beto Richa, iniciou o ano de 2015 propondo uma série de medidas que retiram direitos sociais e reduzem investimentos, com o objetivo de economizar para atingir o superávit primário. Em resposta, diversas categorias de trabalhadores entraram em greve na última semana, enquanto muitas outras também se mobilizam e devem deflagrar a paralisação por tempo indeterminado nesta semana.

 

O “pacotaço” de Richa atinge principalmente os servidores públicos estaduais: prevê teto para as aposentadorias, corte em benefícios como auxílio-transporte, uso do dinheiro da previdência para pagamento de outras dívidas do Estado e fim dos quinquênios. Isso se soma ao pacote de dezembro, quando foi instituída a taxação dos inativos, o aumento do IPVA em 40% e o corte no orçamento da Defensoria Pública.

 

Os professores e funcionários de escolas estaduais realizaram assembleia no sábado em Guarapuava, no centro do estado, que reuniu mais de 10 mil pessoas. A greve foi aprovada por unanimidade. Também estão em greve os agentes penitenciários, os trabalhadores da saúde estadual e os trabalhadores do Tribunal de Contas. Outras categorias do serviço público paranaense têm assembleias e mobilizações marcadas para essa semana.

 

Universidades estaduais mobilizadas

Os professores da Universidade Estadual de Ponta Grossa (Uepg) decidiram, em assembleia na última quinta-feira (5), com a presença de 180 professores, entrar em greve a partir desta segunda (9). Os docentes da Universidade Estadual de Londrina (UEL) estão em paralisação, com entrada em greve prevista para quinta-feira (12). Os professores da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) deliberaram, nessa segunda (9), em assembleia com 500 presentes, entrar em greve imediatamente. Já os docentes da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) têm assembleias marcadas para quarta-feira (11).

 

Segundo Mary Falcão, 2ª vice-presidente da Regional Sul do ANDES-SN, os docentes das universidades estaduais reivindicam a revogação do pacote de ajustes do governo do estado, a revisão da criação do fundo de pensão privado para os servidores estaduais, o pagamento do 1/3 do salário de férias e a manutenção da autonomia universitária.

 

Na terça-feira (10), os professores universitários juntam-se, em um grande ato, às demais categorias mobilizadas para tentar obstruir a votação do pacote do governo na Assembleia Legislativa do Paraná. Haverá acampamento desde a noite desta segunda-feira no Centro Cívico, em Curitiba. Na terça, a concentração começa pela manhã e o ato pela tarde, quando a Assembleia Legislativa deve apreciar o projeto.

*Com informações e imagem de Sinduepg – SSind e imagem de APP-Sindicato

Fonte: ANDES-SN

Posted On 10 fev 2015
, By

Reunião Ampliada dos Servidores Públicos Federais

Tema: Unificar o funcionalismo federal em defesa dos serviços públicos

Data: 31 de janeiro e 1 de fevereiro de 2015

Local: Brasília Imperial Hotel (SHS Quadra 3, Bloco H)

 

Artes gráficas:

Confira a arte de divulgação em PDF – Clique aqui

Confira a arte de divulgação em JPG – Clique aqui

 

Circular:

Circular Nº 245/14:  encaminha as orientações, a ficha de inscrição e o cartaz sobre a plenária dos SPF.

Para acessar as orientações, clique aqui.

Para acessar a ficha de inscrição, clique aqui.

 

Fonte: ANDES-SN

Posted On 10 fev 2015
, By

COMUNICADO DE RECESSO

COMUNICAMOS QUE DURANTE O RECESSO DAS AULAS NA UFRPE, O HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DA ADUFERPE SERÁ DAS 08:00 ÀS 17:00 HORAS, ENTRE OS DIAS 09/FEVEREIRO/2015 ATÉ 13/03/2015.

ATENCIOSAMENTE,

DIRETORIA DA ADUFERPE

Posted On 10 fev 2015
, By