Professor@s e estudantes pedem respeito à democracia no processo estatuinte

A direção da Aduferpe esteve presente na palestra Desafios do Processo Estatuinte na UFRPE, proferida pelo professor Luiz Maia, para pedir a revogação da resolução 029/2017, que altera a metodologia do processo estatuinte, elaborado democraticamente, em 2017, pela comissão organizadora, formada por docentes, discentes e funcionários. Na ocasião, foi distribuída uma nota da diretoria do Sindicato esclarecendo que sua posição foi deliberada em Assembleia Geral, em 17 de maio, e protocolada em Nota de Repúdio, pelo ofício 010/2017.

A nota da direção ainda destaca: ‘a categoria entende que o CONSU, ao rejeitar a metodologia proposta pela comissão, fere o princípio basilar da democracia ao delegar a si próprio a palavra final sobre o conteúdo e a forma do Estatuto da UFRPE’. Após a apresentação da palestra, professor@s e estudantes se posicionaram majoritariamente contra a resolução. ‘Nos negamos a participar de uma estatuinte antidemocrática’, afirmou a diretoria do Departamento de Educação, professora Mônica Folena.

Ao ser questionado sobre a resolução, o palestrante afirmou que ‘desejaria muito que essa mudança não fosse feita,mas ela foi. Então vamos nos manifestar. Nós temos uma relutância, um temor à democracia. As vezes ela parece radical, quando ela é simplesmente democrática’, frisou. A presidenta da Aduferpe, professora Erika Suruagy salientou que o estatuto é da década de 70, instituído em plena ditadura militar.

‘Como de fato vamos ter um estatuto democrático se a instância superior da Universidade tem medo de democracia? A decisão do CONSU, em não aceitar como última palavra o Congresso Estatuinte, demonstra um medo, um receio da democracia’, observou Erika Suruagy.

Aduferpe
Sobre o autor
Criador de conteúdo, responsável por divulgar notícias e informações de utilidade pública ao servidores da instituição de ensino UFRPE.

Deixe seu recado