Perseguição do governo Bolsonaro

Perseguição do governo Bolsonaro

Ao que parece, o Ministério da Justiça e Segurança Pública está pronto para mergulhar o Brasil em mais um período de trevas. Sua ‘Diretoria de Inteligência’ acaba de elaborar uma lista, em que estão ‘marcados’ muitos servidores públicos – sobretudo professores universitários – que se posicionam contra o fascismo.

Em outras palavras, o governo federal resolveu oficializar a perseguição político-ideológica a partir de órgãos de estado, em evidente afronta à Constituição Federal. Para se ter uma ideia, um dos ‘listados’ é Paulo Sérgio Pinheiro, professor titular da USP, relator da ONU para os Direitos Humanos na Síria, reconhecido e respeitado no mundo inteiro.

Portanto, estamos diante de mais um atentado à legalidade, por parte de um governo de vocação fascista, em ação que configura Crime de Responsabilidade (art. 4o, II, da Lei 1.079/50), com flagrante violação dos Direitos Humanos por parte do poder público.

Como órgão representativo dos docentes, a ADUFERPE vai denunciar cada movimento do bolsonarismo em direção ao fascismo. Repressão e prepotência na máquina do estado são execráveis e reforçam ainda mais nossa posição na trincheira em favor do impedimento presidencial.