Primeira Plenária Virtual da Aduferpe tem grande participação docente

Primeira Plenária Virtual da Aduferpe tem grande participação docente

Com a participação de quase 100 docentes de todos os campi da UFRPE, a Aduferpe realizou a sua 1ª Plenária Virtual. A reunião ocorreu na tarde desta quinta-feira (30), pela plataforma GoogleMeet.

Na pauta, informes gerais e da assessoria jurídica, que esclareceu dúvidas sobre a portaria que regulamenta o trabalho remoto, bem como sobre a Instrução Normativa n°28, que dispõe sobre pagamento de insalubridade e periculosidade, entre outros pontos. A advogada Graziele Crespan também respondeu a questionamentos sobre descontos previdenciários, e o andamento das ações sobre os processos de progressão e promoção funcionais dos docentes.

Já a professora Celi Taffarel, da UFBA, fez uma análise de conjuntura. Ela analisou o impacto do sistema capitalista sobre as forças produtivas e o meio ambiente, bem como os efeitos da chamada necropolítica em plena pandemia. A professora também apontou o crescimento da escalada autoritária nas ações de governo, além dos danos causados pela desatenção aos serviços de saúde, educação pública, ciência e tecnologia – num contexto de calamidade, por conta do enfrentamento ao coronavírus.

Celi Taffarel ainda lembrou a importância da solidariedade, num momento em que a maior prioridade é salvar vidas. Falou da necessidade de união dos trabalhadores, e convocou todos e todas a participar das ações deste 1º de Maio, ainda que cada um esteja em sua casa. Para completar, a professora frisou que “o Governo Jair Bolsonaro tem que acabar, porque está nos matando”.

O terceiro ponto da Plenária foi sobre as estratégias de comunicação e luta realizadas neste período de isolamento, com destaque para a campanha “Aduferpe na Quarentena”, com seus cards, matérias, artigos, vídeos, lives e peças de entretenimento voltadas para as redes sociais do Sindicato.

Ao final, a plenária apontou como encaminhamentos: a participação dos docentes nas mobilizações virtuais deste 1º de Maio, assim como nas manifestações em janelas e varandas, contra o “desgoverno” de Bolsonaro; aprovada uma moção de repúdio às recentes intervenções do MEC, sobre as nomeações dos gestores da Univasf, em Petrolina, e do IFRN (Instituto Federal do Rio Grande do Norte); Campanha de pressão aos senadores contra o congelamento dos salários e Moção de repúdio contra Edital do CNPq que exclui as humanidades do PIBIC.

Também nos encaminhamentos ficou definida a participação na Marcha (Virtual) pela Ciência, dia 7 de maio. Em breve, estaremos postando um vídeo com os momentos mais importantes da plenária.